Financiamento

Com 35 anos de experiência no mercado imobiliário, a Chalu esta em constante processo de renovação se aperfeiçoando a cada dia, com o objetivo de prestar um serviço completo e de qualidade.

Com este objetivo, criamos especialmente para atender os compradores interessados em realizar o sonho da casa própria ou para a compra de um imóvel para investimento um novo produto, "Serviço de Assessoria para Compra com Financiamento".

Nossos clientes exclusivos terão a assessoria perfeita em 6 passos:

 

1-    Primeiro Passo

Nós somos a empresa certa, para guia-lo neste processo.

Agende um horário com nossas recepcionistas, para que possamos atendê-lo com a devida atenção. Conheça nossa empresa e este novo serviço.

Contrate nossa equipe de especialistas para sua garantia, segurança e tranquilidade.

 

2-    Segundo Passo

Seja pré-aprovado num financiamento.

Nós faremos isto com você.

Você terá toda assessoria de nossa equipe de especialistas e  o agente financeiro será o de sua livre escolha.

Receba a aprovação previa do banco para um financiamento imobiliário, antes de começar a procurar, inclusive, esta é uma exigência dos vendedores, que querem receber ofertas acompanhadas de carta de pré-aprovação fornecida pelo agente financeiro.

 

3-   Terceiro Passo

Encontre a casa dos seus sonhos.

Geralmente este passo é a parte mais divertida do processo. Antes de começar você precisa determinar e nós precisamos entender o perfil do imóvel desejado, se para investimento ou para uso pessoal, se casa ou apartamento se em condomínio, numero de quartos, localização para que possamos encontrar o imóvel ideal Nós temos acesso a todo mercado imobiliário e encontraremos a casa de seus sonhos, você não precisará passar por todas as imobiliárias.

 

4-    Quarto Passo

Assim que encontrar o imóvel procurado chegou a hora de fazer a oferta.

Nós te proporcionaremos total apoio e auxilio neste passo, que e conduzido do inicio ao fim por advogados, contadores, e profissionais altamente especializados, garantindo assim, total segurança tanto para quem compra quanto para quem vende.

 

5-   Quinto passo

Chegou a hora do financiamento

Nossa equipe ira auxilia-lo nesta etapa para que tudo transcorra da forma correta e dentro do menor prazo possível.

 

6-    Sexto passo

Você receberá escritura de seu imóvel.

Este é o estágio final para que você se torne proprietário do imóvel desejado.

Na  data estabelecida pelo seu agente financeiro, todas as partes envolvidas finalizam o contrato de compra e venda e a escritura e transmitida.

 

Conquiste seu espaço e seu sonho, nós trilhamos o caminho com você.

Nossa marca representa valores em que nos alicerçamos, credibilidade, ética, transparência e exclusividade.

Seja um cliente exclusivo, seja um cliente Chalu.

 

 

Seja um cliente exclusivo, seja um cliente Chalu.

 

 A Direção 

 

 

 

SOLICITANDO O FINANCIAMENTO

 

1-    Já Possuo um financiamento imobiliário, posso fazer outro?

Sim, desde que comprove renda suficiente para assumir ambos os financiamentos, e que o novo financiamento se enquadre na política vigente.

 

2-   É possível fazer transferência do financiamento bancário?

Sim. A transferência do financiamento somente será possível mediante a concessão de um novo financiamento ao solicitante, que terá como base de crédito e legislação vigentes à época da concessão. O cálculo da renda mínima necessária está condicionado às variáveis da nova operação, tais como: valor do financiamento, idade do proponente e ao valor de avaliação do imóvel.

 

3-   Imóveis em construção podem ser financiados?

Não. Apenas os imóveis que estão concluídos e com o habite-se (autorização dada pela Prefeitura para que se possa ocupar e utilizar recém-construído ou reformado)

 

4-   Se a minha renda não atingir o mínimo exigido, posso somar a renda com a de outra pessoa?

 É permitido que cada financiamento seja formado por, no máximo, duas pessoas, que poderão compor a renda exigida. Clientes casados, inclusive por União Estável, somente é permitida a composição de renda com seu respectivo cônjuge.

 

5-   O que é ITBI e como ele é calculado?

Toda compra de imóvel exige o pagamento do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis e o registro do imóvel. Quando a aquisição é feita com um financiamento, deve-se registrar a garantia em nome do Agente Financeiro. O ITBI é cobrado pela Prefeitura local.

 

6-   O que é contrato de compromisso de compra e venda?

É a formalização do compromisso comercial entre o comprador e o vendedor do imóvel. Neste contrato o vendedor é chamado de promitente-vendedor e o comprador de compromissário-comprador.

 

7-   Pode ser feita venda de imóvel por procuração?

Sim. Essa procuração deve ser pública e especificar os poderes.

 

8-   Por que devo fazer o registro do imóvel?

O registro do imóvel declara quem é o verdadeiro dono do imóvel. De acordo com o Código Civil Brasileiro, a propriedade (imóvel) somente é transferida após o registro da escritura no Cartório de Registro de Imóveis. Portanto, não vale assinar somente a escritura ou o contrato de venda e compra do imóvel. Deve-se realizar o registro, pois quem não registra não é considerado de fato o proprietário. O registro deve ser realizado no Cartório de Registro de Imóveis da sua localização (bairro, município ou comarca).

 

9-   Quais as providências que deverão ser tomadas ao quitar o imóvel?

Ao quitar todas as prestações do financiamento, providencie a Escritura Definitiva no Tabelionato de Notas. Leve todos os documentos pessoais (dos compradores), respectiva prova de quitação e o contrato. Em seguida registre a Escritura no Cartório de Registro de Imóveis competente para a efetiva garantia da propriedade do imóvel. Após, peça por escrito na Prefeitura a alteração do imposto territorial para seu nome e seu endereço.

 

USANDO O FGTS

 

10-    Posso adquirir o imóvel em qualquer lugar usando o FGTS?

Não. Há restrições. O imóvel deve estar situado no município onde o comprador exerce sua ocupação principal, ou em município limítrofe, ou pertencente à mesma região metropolitana. Poderá ser escolhido imóvel no município onde o cliente mora, desde que comprove  que não possua nenhum imóvel em todo o território nacional.

 

11-   Qual o valor máximo do imóvel que eu posso financiar com o FGTS?

O valor do imóvel residencial a ser adquirido pelo FGTS não pode ultrapassar R$ 500 mil, sendo financiado até R$ 450 mil.

 

12-   O Financiamento é liberado na hora?

A possibilidade de utilização dos recursos do FGTS somente será analisada após a aprovação do crédito do cliente, quando serão solicitados os documentos necessários para a formalização do pedido à Caixa Econômica Federal.

Assim, caso seja verificado que os recursos do FGTS estão indisponíveis ou que os valores encontrados não são os mesmos informados na Proposta de Financiamento, o processo retornará à análise de crédito.

 

13-   Posso usar o FGTS para adquirir imóvel para o meu filho?

Não. É vedada a sua utilização para a moradia exclusiva de familiares, dependentes ou terceiros.

 

14-   Existe enquadramento para o uso do FGTS para o imóvel?

Sim. O imóvel além de estar  em condições para moradia, não poderá ter sido adquirido pelo(s) vendedor(es) com recursos do FGTS, nos últimos três anos.

 

15-   Comprei um imóvel na planta, pretendo quitar na entrega das chaves, posso utilizar o FGTS mesmo tendo outro imóvel?

Não. Se você já possui outro imóvel na localidade em que reside ou trabalha, não poderá utilizar o FGTS.

 

16-   Moro em São Paulo, onde já possuo dois imóveis em meu nome, mas trabalho há mais de três anos em Itapecerica da Serra, posso usar meu FGTS para comprar um apartamento em Itapecerica da Serra?

Não, pois Itapecerica da Serra faz parte da região metropolitana de São Paulo além de ser município limítrofe de São Paulo. O proponente não pode possuir imóvel no município que reside ou exerce sua ocupação principal, município limítrofe ou pertencente à região metropolitana.

 

17-   O que é município limítrofe?

Entende-se por município limítrofe as regiões vizinhas. Exemplo: São Paulo x Guarulhos são regiões consideradas limítrofes (vizinhas), então se o cliente mora em Guarulhos e trabalha em São Paulo e quer comprar o imóvel em São Paulo poderá usar o FGTS, se não possuir imóvel. São Paulo x Praia Grande/SP não são regiões limítrofes (vizinhas), e neste caso se o cliente trabalha e mora em São Paulo e quer comprar o imóvel na Praia Grande, não poderá usar o FGTS.

 

18-   Posso utilizar o FGTS para amortizar o saldo devedor em um imóvel que foi avaliado com valor superior ao permitido de R$500.000,00

Não. O limite aceito pelas regras de uso do FGTS é que o imóvel tenha o valor de no máximo R$ 500.000,00.

 

19-  Posso utilizar o FGTS para amortizar o financiamento imobiliário?

Sim, desde que o financiamento se enquadre nas regras da CEF, você pode utilizar para amortização extraordinária do saldo devedor, para redução do valor da prestação ou amortização extraordinária do saldo devedor para redução do prazo contratual.

 

20-  Financiei um imóvel no valor de R$600.000,00 e gostaria de utilizar o FGTS para amortizar o saldo devedor. Posso?

Não. Para utilização do FGTS, o limite máximo do valor do imóvel é de R$ 500.000,00.

 

21-  Estou com prestações do meu financiamento imobiliário em atraso. Gostaria de utilizar o FGTS para ficar em dia e reduzir parte do saldo devedor. Isso é possível?

Não. Para qualquer utilização do FGTS, tanto para abatimento nas prestações quanto para amortização ou liquidação, as prestações do financiamento deverão estar rigorosamente em dia.

 

QUITANDO AS PARCELAS

 

22-    Garantia do financiamento

A garantia será a alienação fiduciária ou hipoteca, ou seja, a transferência do imóvel em garantia do pagamento de dívida.

 

23-    Reajuste da prestação e do saldo devedor

Os reajustes da prestação e do saldo devedor serão mensais, segundo o índice de atualização da Caderneta de Poupança, que atualmente é a TR (Taxa Referencial).

 

24-   Transferência de financiamento

Caso você esteja interessado em um imóvel cujo proprietário tenha um Financiamento Imobiliário o valor do saldo devedor pode ser transferido a você nas mesmas condições de um novo financiamento.

 

SEGUROS

 

Muitos financiamentos são acompanhados de dois tipos de seguros, cobrados mensalmente, que aumentam a sua tranqüilidade no caso de algum infortúnio.

As coberturas previstas para os financiamentos são:

 

Morte e Invalidez Permanente (MIP);

Caso um dos clientes participantes do financiamento venha a falecer ou ficar incapaz de exercer sua profissão, prejudicando assim sua capacidade de pagar o financiamento, esse seguro quitará a parcela correspondente do saldo devedor, segundo o percentual da renda total pelo qual o cliente é responsável.

Exemplo: se o saldo devedor de um financiamento composto por duas pessoas for de R$ 100 mil e ocorrer o falecimento do cliente que apresentou 30% do total de rendimentos, o seguro quitará R$ 30 mil do saldo devedor, ficando o outro cliente responsável por continuar pagando normalmente o restante da dívida (R$ 70 mil).

 

Danos físicos ao imóvel (DFI);

Esse seguro cobre eventuais danos que possam ocorrer ao imóvel no período do financiamento, exceto problemas oriundos do período de construção.

A cobertura DFI incide sobre o valor de avaliação do imóvel e responderá pelas despesas de reparos, inclusive quitando as prestações do financiamento enquanto o imóvel estiver em obras.

 

25-    Custo da administração

É uma tarifa cobrada mensalmente com a prestação, referente aos serviços de administração do financiamento.

 

INCORPORAÇÃO DE CUSTOS ADICIONAIS

 

Toda compra de imóvel exige o pagamento de Imposto de Transferência de Bens Imóveis (ITBI) e o registro do imóvel em nome do cliente. Quando a aquisição é feita  com um financiamento, deve-se registrar a garantia em nome do banco.

 

O ITBI é cobrado pelas Prefeituras das cidades, após a assinatura do contrato, a ser documentado no Cartório de Registro de Imóveis.

 

COMO UTILIZAR O FGTS?

 

Leia a ajuda Usando o FGTS

 

CALCULANDO A SUA PRESTAÇÃO

 

O valor da primeira prestação do financiamento deve ser de, no máximo, 30% da renda líquida (após os descontos, como IR, INSS e outros) dos envolvidos (máximo duas pessoas) no financiamento, uma vez que seja confirmada a capacidade de pagamento da prestação.